Gustavo Henrique 1 mes

Gustavo Henrique 1 mes

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Crime hediondo.

Coloquei um video lá no finalzinho da página, pra mostrar o tamanho da crueldade que uma grande parte das mulheres cometem, o aborto. Tais mulheres não deveriam possuir um orgão tão abençoado que é o útero. Criminosas, essas infelizes merecem sofrer pelo que fez a um ser tão indefeso e tão inocente que Deus mandou para cuidarmos, darmos amor e formar um ser humano que poderia mudar esse mundo que está tão cheio de maldade. Eu me lembro que recebi esse video na época em que eu estava na escola, na 8 série. Um homem me parou na rua e me deu um folhetinho falando sobre o aborto, nem liguei muito, mas sempre fui contra esse crime. Passado uns dias esse mesmo homem pasou novamente na porta da escola e me deu outro folhetinho e uma fita de video cassete mostrando o aborto, me lembro que depois de assistir eu chorei muito, eu estava com 16 anos.
Depois de 17 anos, minha sobrinha que esta com 20 anos chegou em casa com o folhetinho,3 bebezinhos de gesso e 3 DVDs quando fui ver, era o mesmo folhetinho com a mesma mensagem e o mesmo video só que dessa vez ele fez uns bebezinhos de gesso. Achei maravilhoso esse homem que não sei o nome, ainda,depois de tantos anos continuar fazendo esse trabalho em mostrar e tentar fazer algumas mulheres a não cometer esse crime tão hediondo.
Ele é uma pessoa que deve ter feito várias mulheres a parar e pensar. Essa pessoa desconhecida deve ter salvado muitas vidas mesmo antes dessas vidas nascerem.




sexta-feira, 3 de junho de 2011

Mamães...vamos ao cinema???

Quando a magia do cinema transporta a mãe para locais inimagináveis, a faz viver sentimentos e sensações únicas, principalmente por estar com seu bebê no colo.

Isso faz do CineMaterna um programa mais que especial!

Meu amor, minha vida

Meu amor, minha vida

A difícil arte de ser mãe

Quando um bebê decide vir ao mundo, nasce com ele uma mamãe.

Uma mãe é mãe desde o primeiro instante. Mesmo quando a vida ainda é um minúsculo ser implantado no ventre, a gente já é mãe do coração. Todo nosso pensamento, todo nosso cuidado se volta para esse serzinho que, tão minúsculo, já provoca emoções tão grandes.

A simples descoberta já nos traz um turbilhão de emoções inexplicáveis. A vida nunca mais vai ser a mesma. E nos perguntamos: "será que vou ser uma boa mãe?" "Será que vou saber cuidar do meu bebê?"

Mas uma mãe não nasce mãe e não aprende a ser em escolas. Uma mãe é e isso basta. Mãe sente, mãe adivinha, mãe aprende sofrendo, mãe sofre aprendendo.